Suinocultura e doenças respiratórias

Suinocultura e doenças respiratórias

Entenda por que o problema requer atenção e é uma das maiores causas de perda para o produtor

As doenças respiratórias são um dos principais fatores de prejuízo na suinocultura – o problema é a causa de cerca de 45% das mortes durante a fase de creche e mais de 60% em recria e terminação.

A partir de 3 semanas de vida, os leitões são desmamados e entram na fase de creche, na qual recebem importantes vacinas contra as principais doenças que os afetam, como, por exemplo, a pneumonia enzoótica e a circovirose. “É nesse momento que recomendamos, simultaneamente ao manejo de vacinação, que os leitões recebam um medicamento estratégico que os auxilie nessa fase crítica, em que estão mais suscetíveis a doenças”, explica o médico-veterinário Dalvan Veit, Gerente Técnico de Suínos da Zoetis.

Antibiótico à base de tulatromicina – molécula de utilização exclusiva na produção animal, DRAXXIN® tem ação concentrada no tecido pulmonar. Contribui para o uso consciente e seguro de antibióticos, já que é um medicamento que confere ao leitão a dose certa, no momento exato. “De ação rápida e prolongada, ele é aplicado em uma única dose e não causa efeitos colaterais”, salienta Veit.

Com mais de 10 anos no mercado, DRAXXIN® proporciona rápida recuperação dos animais, trata quadros infecciosos respiratórios com o mínimo manejo, alinha o status sanitário dos suínos na entrada e na saída das diferentes fases de produção e chega rapidamente ao local de ação, com pronta absorção.

O especialista explica ainda que o princípio ativo do DRAXXIN®, a tulatromicina é a primeira de uma nova e exclusiva subclasse de antibióticos – os triamilídeos. “É uma fórmula sintetizada e desenvolvida especificamente para ser o antibiótico mais eficaz no combate a doenças respiratórias em animais de produção”, diz Veit.

Além dessas vantagens terapêuticas, a tulatromicina possui efeito imunomodulador – controla o processo inflamatório, auxiliando na rápida recuperação dos leitões. “Todos esses benefícios fazem com que os animais estejam saudáveis o mais rápido possível e, dessa maneira, passem a expressar o seu comportamento natural e desempenhar o seu potencial genético”, finaliza o médico-veterinário.

Para outras informações sobre o medicamento, clique aqui.

Sobre a Zoetis

Como empresa líder mundial em saúde animal, a Zoetis é movida por um propósito singular: fortalecer o mundo e a humanidade por meio da promoção do cuidado com os animais. Depois de quase 70 anos trazendo inovações na maneira de prever, prevenir, detectar e tratar doenças em animais, a Zoetis continua a apoiar aqueles que criam e cuidam de animais em todo o mundo – de pecuaristas a veterinários e tutores de animais de estimação. Todo o seu portfólio de medicamentos, vacinas, diagnósticos e tecnologias terapêuticas, e aproximadamente 11.300 funcionários fazem a diferença em mais de 100 países.
Em 2020, a Zoetis obteve um faturamento de US$ 6,7 bilhões. Para outras informações, acesse www.zoetis.com.